11.6.14

Suave - Capitulo 15


~

DURANTE O resto do dia, Demi o evitou.

Joe não podia culpá-la. Ele se comportara de maneira abominável. Tentara tanto ser correto, resistir à tentação do lindo corpo vestido naquele minúsculo biquíni rosa. Talvez Taylor estivesse certa o tempo todo. Talvez ele fosse incapaz de se comprometer.

Isso o entristecia.

Ele realmente queria mudar, mas a redenção estaria além do alcance dele? Os prazeres da carne sempre iriam persegui-lo? Nunca controlaria o próprio corpo? Como provaria a Taylor que mudara quando sequer conseguia provar a si mesmo?

Desanimado, Joe ficou ao leme, o dia inteiro. Demi desaparecera dentro do barco, depois que ele a beijara, balbuciando algo a respeito de o sol lhe ter causado dor de cabeça. Ele sabia que o sol não era o motivo do desconforto dela, mas, sim, a maneira indesculpável com que ele se comportara.

Ele velejou até a noite cair em torno deles como um manto e até sentir o cheiro de cebolas, cominho e alho que subia do convés inferior. O estômago de Joe roncou, e ele percebeu que, depois dos ovos mexidos com torrada que Demi preparara para ele naquela manhã, não comera mais nada.

Ele acabara de abaixar a âncora e recolher as velas quando ela apareceu no convés, com o luar refletindo no rosto ingênuo.

– O jantar está pronto – disse ela.

– Você não precisava fazer o jantar.

– Eu precisava fazer alguma coisa. – Ela vestira a camiseta dele por cima do biquíni. Graças a Deus. Estava descalça e coçava a perna esquerda com a ponta dos dedos do pé direito. Era um simples gesto e não deveria ser sexy, mas, maldição, era. – Eu não sou uma pessoa inativa.

– Posso comer aqui em cima se você preferir.

Um sorriso leve passou pelos lábios dela.

– Está se castigando?

– Eu mereço ficar aqui.

– Dê uma chance a si mesmo. Você é apenas humano.

Joe ficou surpreso.

– Você não está furiosa comigo?

Demi deu de ombros.

– Olhe, aconteceu em um momento de fraqueza. Eu fui tão culpada quanto você, mas podemos relevar. Você está apaixonado por Taylor, e eu estou apenas me divertindo. Eu não tinha intenção de me meter no seu caminho. Passaremos mais alguns dias juntos no mar, portanto, não vamos considerar isso como algo mais sério do que foi.

A atitude dela era um alívio. Ela não o acusava por tê-la beijado. Claro, ele não poderia se eximir com tanta facilidade, mas a compreensão de Demi tirava um pouco da tensão do ar. – Eu fiz tacos. Se você quiser, vamos. – Ela voltou a entrar no barco.

Joe foi atrás dela.

Houve um momento de constrangimento, como sempre acontecia quando os dois sentavam para comer juntos. Ali, o ambiente era pequeno e fechado, e não havia outras distrações. Os dois só tinham um ao outro como companhia.

– O seu rosto está meio vermelho – disse ele. – As queimaduras do vento e do sol costumam arder. Há uma pomada de aloe vera no armário de remédios.

– Obrigada. Vou passar um pouco antes de ir para a cama. – Os dedos longos e finos de Demi pegaram um taco, e ela inclinou a cabeça para comê-lo.

Mais uma pausa constrangedora.

Pense em algo neutro para dizer.

– Então – disse ele. – Quanto tempo você planeja ficar em St. Michael?

Ela engoliu o pedaço de taco e limpou a boca – aquela boca doce e rosada – com o guardanapo.

– Não tenho certeza.

– Para onde você vai depois?

– Estou pensando em trabalhar como enfermeira itinerante. A minha estada em St. Michael despertou um espírito de aventura que eu não sabia ter.

– Engraçado. – Ele ergueu as sobrancelhas.

– O quê?

– Justo quando eu estou ansioso para me assentar, você está pretendendo vagar pelo mundo.

– Acho que é irônico. O cauteloso se torna aventureiro, e o aventureiro procura se enraizar.

– Devo dizer que você é ótima marinheira.

– Você diz isso na minha cara, depois que eu fui derrubada pela retranca? E isso depois de você ter me avisado.

– Você não ficou enjoada. A maioria das pessoas fica mareada.

– Eu nunca fiquei enjoada. Tenho um estômago de ferro. – Demi bateu na barriga.

Sem conseguir evitar, Joe olhou para o corpo dela. Demi tinha uma cintura muito fina e quadris curvilíneos. Ele podia ver o contorno do biquíni rosa por baixo da camiseta branca.

Era oficial: ela o estava levando à loucura. Ele decidiu dar atenção aos tacos.

Sexy, linda e, além disso, boa cozinheira?

– Por que algum homem ainda não a fisgou?

– O que disse?

Ah, ele dissera aquilo em voz alta?

– Não há nenhum anel no seu dedo, e você nunca disse algo a respeito de um namorado. Você tem namorado?

– Não.

– Por que não?

– O motivo pelo qual eu vim para St. Michael é ajudar as pessoas. Como poderia fazer isso, se estivesse namorando, em vez de fazer meu trabalho?

– Todos precisam de um descanso de vez em quando.

– Estou começando a perceber – disse ela. – Hoje, com os golfinhos, foi a maior diversão que eu tive em muito tempo.

Pensar nos golfinhos levou-os a pensar no que acontecera depois, e os dois ficaram em silêncio.

– Além disso – disse ela –, eu não queria começar nada que não pudesse acabar.

– Então, há alguém em St. Michael em quem você está interessada? – perguntou ele, sentindo uma onda irracional de ciúmes.

Ela o encarou.

– Foi uma fantasia passageira.

– Você sempre termina tudo que começa?

– E você, não?

– Nem tudo precisa ser terminado. Algumas coisas estão destinadas a ser temporárias. – Como uma refeição.

– Ou como um improviso.

– O que é um improviso?

– Vou fazer um com o seu nome.

– Fazer o quê?

– Um improviso.

– Certo, faça.

– Mas, antes: você tem algum apelido? Ela torceu o nariz.

– Eu não sou do tipo que tem apelidos.

– Alguém já deve tê-la chamado por um apelido. Mãe, avó, irmãos, amigos…

– Às vezes, os meus amigos me chamam de Dem. Minha avó me chamava de girafa porque eu cresci mais depressa do que os meus primos. O meu pai, de vez em quando, me chama de fardo de feno.

– Demi. D, como em hospitaleira e humana. Só um I, não dois. Eficiente. Demi Lovato, cometa Demi. Demi. Assim chamada pelo sr. e a sra. Lovato. Feno. Fardo de feno. Girafa. Cresceu pouco, mas muito rápido. Vívida. Confiável. Demi. Quatro letras. Duas vogais encaixadas entre 2 consoantes. Perfeitamente espaçadas. Firme, mas com um surpreendente I no final – recitou Joe sucessivamente. – Demi. Beleza da praia. Pele dourada. Sorriso levemente triste. Olhar inteligente. Covinha no queixo. Pernas de puro sangue. Amante dos golfinhos. Ativista. Batalhadora. Escrupulosa. Nobre. Faz os tacos mais gostosos do mundo.

Demi revirou os olhos.

– Diga uma coisa: esse tal improviso com o nome é uma cantada, não é? Você usa isso com as suas namoradas?

Sinceramente, não. Ele nunca fizera isso. Na verdade, não tinha ideia de onde viera. O improviso simplesmente saíra da boca dele, mas ele estava com medo de admitir. E, de repente, ele percebeu que, inconscientemente, estivera pensando no nome dela e no que ele lhe lembrava, durante dias, talvez semanas.

– Pode parar de tentar me cativar. Eu sei que isso faz parte da sua natureza, mas não vai adiantar.

Portanto, relaxe.

Ela estava com a razão, não fazia sentido, mas, lá no fundo da cabeça de Joe, uma voz continuava repetindo: Demi. Saudável como trigo. Tenda de hospital. Dormiu nos meus lençóis. Trabalhadora incansável. Sapatos com sola de borracha. Não foge às responsabilidades. Cabelos com cheiro de morango, que nunca deveriam ser presos em um coque. Pestanas parecidas com pincéis. Agora, apavorada e com vontade de fugir. Coração de ouro. Ela me coloca no meu lugar, como ninguém.

Transforma o sr. Escorregadio em sr. Inseguro. Demi. Companheira involuntária de um passeio. Lábios divinos. O que você quer que eu não possa dar?

– Não há como cativá-la, então?

– Não.

Mais um silêncio estranho.

– Com o vento às nossas costas, hoje desenvolvemos uma ótima velocidade – Ele disse, apressando-se a romper o silêncio. – Nesse ritmo, estaremos em Key West na sexta-feira.

Ela pareceu ficar aliviada.

– Ótimo, e poderemos voltar às nossas vidas.

– Sim. – Mas isso não parecia ótimo para Joe. Nem um pouco.

                                                                                      ~
Oláaa <3 mais um capítulo divo :3 Estão gostando da fic? eu acho ela perfeita *-*
Mais tarde posto mais um okay? Comentem....Beijos...XOXO!! Adoro vocês *-* <3
*PS: Comentários respondidos AQUIAQUIAQUI, e AQUI.

5 comentários:

  1. Sim sim, ta perfeita! Ok, poooosta <3 beijos

    ResponderExcluir
  2. perfeição é o que define esse capítulo <3 <3 <3
    adorei :-D
    posta loogooo
    beijos <3

    ResponderExcluir
  3. Gente eu casava com o Joe agr. Cara seu lindooo... Imagina a Demi tá muito gostosa pega ela Joooe. kkkkk
    Posta mais amando
    Fabíola Barboza

    ResponderExcluir
  4. Falta muito pro hot? Pergunta pra mari pfvr kkkk

    ResponderExcluir

Deixem um comentário e deixem uma "escritora" feliz :D